negocios-tributoscosmeticos-thinkstock
CMMR ADVOGADOS ASSOCIADOS

CMMR ADVOGADOS ASSOCIADOS

Carga tributária derruba vendas de cosméticos e higiene pessoal

Elevação do IPI para 15% em 2015, que foi repassada para os preços, produziu efeito cascata na cobrança do ICMS e afetou o volume de vendas, segundo a Abihpec.

A indústria de cosméticos, higiene e perfumaria registrou queda de 10,9% em volume de vendas de janeiro a julho de 2019 na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec).

João Carlos Basilio, presidente da entidade, diz que o resultado é efeito não só das dificuldades econômicas do País, mas também de um aumento brutal da carga tributária do setor nos últimos anos. A queda generalizada foi puxada pelos produtos de higiene pessoal e perfumaria, cujos volumes caíram 19,3% e 8,5%, respectivamente.

LEIA MAIS: Vaidade masculina impulsiona o mercado da beleza

Já a redução em cosméticos foi mais modesta, de 0,6%. “Nunca tivemos uma queda tão expressiva com estamos tendo agora e isso é fruto de termos diminuído significativamente as promoções no mercado”, afirmou Basilio durante abertura da feira In-Cosmetics 2019. “Tínhamos a fama de sermos resilientes a preços e posso afirmar que não somos”, disse.

Em termos de faturamento, o setor atingiu um total de R$ 30,4 bilhões de janeiro a julho, aumento nominal de 5,3% em relação ao mesmo período de 2018. Descontada a inflação, no entanto, o crescimento vai para 1,5%.

CARGA TRIBUTÁRIA

Basilio afirma que o governo federal tomou decisões arbitrárias no aumento de impostos sobre o setor em 2015, elevando o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) nas distribuidoras para 15%, o que provocou um efeito cascata na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos Estados.

“A indústria toda repassou esse IPI para os preços. Avisamos que a decisão seria um tiro no pé, que não traria os benefícios imaginados. A arrecadação não aumentou e a sociedade está pagando”, disse Basilio, ressaltando que o Estado de São Paulo foi o único que não aumentou o ICMS. A Abihpec questiona na Justiça o aumento do IPI sobre as distribuidoras.

Fonte: Diário do Comércio


Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

receba as últimas notícias
no seu e-mail através da nossa newsletter

CMMR - Costa | Martins | Meira | Rinaldi © 2019 - Todos direitos reservados