frepem
CMMR ADVOGADOS ASSOCIADOS

CMMR ADVOGADOS ASSOCIADOS

FREPEM busca sanção de PL de desburocratização

Reunião promovida pela ACSP discutiu o Plano Estadual de Desburocratização para simplificar e acelerar os processos relativos às micro e pequenas empresas em sintonia com a Lei de Liberdade Econômica.

A sanção da Lei da Liberdade Econômica que traz medidas para diminuir a burocracia empresarial, trouxe também novos desdobramentos para melhorar o ambiente de negócios do Estado de São Paulo e atrair novos investimentos.

Um deles é o Projeto de Lei 04/2019, que visa criar o Plano Estadual de Desburocratização – Empreenda Fácil aprovado pela Assembleia Legislativa de São Paulo no início de outubro.

De autoria do deputado Itamar Borges, o PL tem como principal objetivo simplificar e acelerar os processos de abertura, licenciamento e fechamento de empresas.

O objetivo é estender para todo o Estado um sistema similar ao que já existe em algumas cidades, como São Paulo, São José dos Campos e Piracicaba, no interior do Estado.

Para Borges, o projeto vai de encontro aos esforços do governo e de outros órgãos, como, por exemplo, a Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp) e das novas medidas do Governo Federal em prol da liberdade econômica e do livre mercado.

O assunto foi discutido na manhã desta quinta-feira (24/10) na sede da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) durante a V Reunião Geral de 2019, da Frente Parlamentar do Empreendedorismo e Combate à Guerra Fiscal (FREPEM), presidida por Borges, com o tema “Liberdade Econômica para melhorar a vida do Empreendedor”.

Na ocasião, os integrantes da Frepem protocolaram um documento que pede a sanção do Projeto de Lei 04/2019 – Plano Estadual de Desburocratização – Empreenda Fácil, que será encaminhado ao governador de São Paulo, João Doria.

Com isso, o grupo pretende oferecer a mesma oportunidade a todos os empreendedores de todo o Estado. O Empreenda Fácil agiliza o processo dos negócios considerados de baixo risco, que representam mais de 75% de toda demanda para criação de novas empresas.

Para Alfredo Cotait, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado (Facesp), as contribuições da FREPEM e de outras organizações podem melhorar e atualizar projetos que prospectam a geração de riqueza para o Brasil.

“A partir das demandas que colhemos dos empresários representados por nossas Associações Comerciais vamos defender o que há de mais importante para a vitalidade do empresariado. Esperamos com essa atuação estar realizando uma importante contribuição para o desenvolvimento do nosso país”, diz.

Presente na reunião, o diretor de Desburocratização do Ministério da Economia, Gianluca Lorenzon exaltou a criação de leis que podem ser cumpridas por todos os empreendedores que desejam atuar dentro da legalidade.
Na opinião de Lorenzon, o Brasil é um dos países mais burocráticos do mundo e ainda apresenta um ambiente de negócios muito hostil.

“Investir e empreender não pode ser sinônimo de se incomodar. Queremos mudar esse cenário e precisávamos de uma medida, como a da liberdade econômica, para facilitar o empreendedorismo no país, gerando emprego e desenvolvimento”.

MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA

Neste sentido, Walter Ihoshi, presidente da Jucesp diz que sua gestão tem como premissa dar fim a percepção negativa do usuário em relação ao órgão que é muito associado à burocracia e ao acumulo de papeis.

Ele destaca que a Lei da Liberdade Econômica autoriza a digitalização, certificação e até descarte de todos os documentos relacionados à Jucesp. Segundo Ihoshi, a junta acumula em um galpão, em Barueri, documentos que datam de 1890. Por mês, a Jucesp analisa cerca de 142 mil processos.

“Com a Lei de Liberdade Econômica podemos digitalizar esse acervo trazendo mais economia e agilidade aos processos”, diz.

“Estamos nos esforçando para mudar a experiência do empreendedor e usuário da junta comercial. Vamos remodelar fluxos e análises de processo com grande investimento em infraestrutura e tecnologia”.

Outro objetivo reforçado por Ihoshi é a redução no tempo de abertura de empresas de 3,5 dias para menos de 24 horas ao longo de 2019 – a meta é chegar a um tempo inferior a três horas. Mais de 16,5 mil empresas foram abertas em 2019. “Esperamos com esse resultado escalar algumas posições nos rankings de investimento internacional”, diz.

REGIMES ESPECIAIS

A demora no deferimento de regimes especiais e a análise de créditos acumulados ilustraram a apresentação de Gustavo de Magalhães Gaudie Ley, coordenador da Administração Tributária da Secretaria Estadual da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP).

De acordo com Gaudie Ley, um novo sistema que visa facilitar a análise de situações pontuais de contribuintes com dificuldades junto ao Fisco será implantado em breve.

Nas palavras do coordenador do Sefaz-SP, esses regimes especiais autorizam a adoção de procedimentos simplificados em relação à norma geral estabelecida no regulamento do ICMS, que podem ser concedidos em relação à emissão de documentos, escrituração fiscal e pagamento do imposto.

Gaudie Ley explica que essa revisão sistemática na melhoria dos processos de regimes especiais tem o objetivo de facilitar o cumprimento das obrigações tributárias frente a complexidade da legislação, das especificações operacionais, dos avanços tecnológicos e das novas formas de atividade econômica.

“Vamos aumentar o volume de saídas em relação ao de entrada. Anteriormente, uma empresa precisava estar regularizada, ter sócios regulares, endereço correto e nenhum tipo de infração. Ou seja, uma série de burocracias que demoravam para ser analisadas até chegar ao mérito. Agora, invertemos a lógica”, diz.

“Uma regulamentação irá determinar que os contribuintes que têm boa relação com o Fisco já terão essa liberação para posteriormente, analisarmos as pendências”.

Fonte: Diário do Comércio


Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

receba as últimas notícias
no seu e-mail através da nossa newsletter

CMMR - Costa | Martins | Meira | Rinaldi © 2019 - Todos direitos reservados